Este ano nós tivemos a oportunidade e privilégio de conhecer alguns dos maiores Cânions do Brasil na região do Aparados da Serra. Com suas centenas de metros de altura, ficamos impressionadas na Trilha do Rio do Boi, onde a caminhada é realizada na garganta do Cânion Itaimbezinho.

A Trilha do Rio do Boi foi uma das mais complicadas e intensas que fiz na vida. Você precisa no mínimo estar preparado psicologicamente, ter coragem e curtir realmente esse estilo de aventura porque ela vai durar aproximadamente 8 horas, sendo 14 km de caminhada (ida e volta) em um terreno pedregoso e com muitas travessias de rio.

Você pode fazer um treinamento no interior do Cânion Malacara que tem 1/5 da dificuldade da Trilha do Rio do Boi. Já dá para ter uma noção do que você vai enfrentar e se realmente vai encarar a aventura.

Início da Trilha do Rio do Boi - Eloah e Amanda
Início da Trilha do Rio do Boi – Eloah e Amanda

Preparativos para a Trilha do Rio do Boi

Esse é um dia que você precisa acordar bem cedo e tomar aquele café da manhã reforçado. Ainda assim a operadora de turismo Rota dos Canyons vai te dar um kit com comidinhas para levar na trilha. Serão duas paradas para abastecer as energias, então dá para dividir o kit e comer em 2 etapas. No nosso vieram 2 lanches, 2 frutas, algumas balinhas, suco e barrinha de cereal. Nós também levamos o squezze com 700 ml de água, que é fundamental durante toda a caminhada.

Na entrada do Parque recebemos do nosso guia Maurício Dalcin as caneleiras, as orientações de segurança e fizemos um alongamento. Tensão a todo vapor, era hora de começar e eu realmente não sabia se estava preparada para essa superação. Lembrando que para essa trilha é obrigatório a presença de um guia.

Ínicio da Trilha do Rio do Boi
Amanda no começos da Trilha do Rio do Boi

Iniciando a famosa e temida Trilha do Rio do Boi

A caminhada começa em uma mata fechada bem tranquila. São apenas 400 metros, mas é um ótimo caminho de boas vindas. Assim que ela começa a se abrir, já avistamos as pedras. Na primeira hora você fica encantando com tantos cenários deslumbrantes e não consegue controlar a quantidade de clicks. Ainda pela frente tem muita coisa bacana para registrar então guardamos um pouco da energia para as piscinas naturais, paredões gigantescos e as cascatas.

Ainda nessa primeira hora, alguns trechos são dentro da mata e tem bastante subida, descida, barro, aranhas e outros insetos não definidos. O calor também judia, mas é só o começo e você tá animado para chegar na primeira travessia de rio e dar finalmente aquela refrescada.

Confira opções de hospedagem em Santa Catarina

Trilha do Rio do Boi - O interior do Cânion Itaimbezinho
Caminhada pela mata fechada

Na primeira parada a natureza reservou um belo tobogã natural. Só a parte masculina do grupo se aventurou e nós meninas ficamos esperando.

E é dai para frente que a coisa começa a ficar um pouco mais complexa. As pedras vão aumentando de tamanho e quantidade. Consequentemente a dificuldade aumenta a cada metro percorrido. A trilha do Rio do Boi inteira foi uma batalha longa com a minha mente e meu corpo. E mais que superar meus limites, foi um teste para mim mesma.

Trilha do Rio do Boi - Nível de Dificuldade
Dificuldade na Trilha do Rio do Boi

Depois de algumas travessias, a mata se abre totalmente e passamos a caminhar sempre ao lado ou dentro do rio. O cenário se transforma praticamente em um filme, nunca vi algo tão incrível. Foi inesquecível o surgimento dos paredões com mais de 700 metros de altura na nossa frente.

No começo todas as travessias são uma festa. Aquela água gelada dá uma animada, uma revigorada e você ganha forças para continuar. Graças a ela o trajeto se tornou menos cansativo, por mais difícil que fosse ficar indo de um lado para o outro, eu achei que o rio ajudou no processo como um todo.

Trilha do Rio do Boi - enfrentando o rio e as pedras
Enfrentando o rio e as pedras na Trilha do Rio do Boi

No final, eu perdi as contas de quantas vezes nós fizemos as travessias no rio. Juro que no começo eu estava contando, mas o nível da água vai só aumentando e a tensão também. Nós começamos com ela na altura do calcanhar, mas para o final algumas chegaram até a nossa cintura. Inclusive, alguns cuidados devem ser tomados na travessia, como sempre atravessar com o grupo de mãos dadas, prestar atenção na correnteza da água e pisar corretamente nas pedras para não prender e nem torcer o pé.

Uma coisa que me deixou um pouco aflita, mas logo passou, foram as cobras e aranhas. Todo cuidado é pouco, então eu fiquei atenta por onde pisava e também colocava a mão. Teve um dos trechos da caminhada dentro d’água que o paredão de apoio ao nosso lado estava recheado de aranhas. Cobras eu não vi nenhuma, o guia disse que passamos por elas, mas confesso que fiquei feliz de não ter visto.

Amanda curtindo o rio da Trilha do Rio do Boi
Amanda curtindo o rio da Trilha do Rio do Boi

Antes de chegar no meio da ida eu já começava a me sentir cansada, injuriada e nervosa. As pedras começaram a ganhar altura e algumas tinham mais de um metro. Os meus joelhos já estavam doendo, eu escorregava toda hora e eu já não conseguia observar toda aquela natureza. Principalmente porque tínhamos que ficar o tempo todo olhando para o chão com o máximo de atenção.

Foi nesse momento que o Mauricio fez a nossa primeira parada para um lanche e descanso. Não sei se ele percebeu que eu estava tensa ou se era realmente hora de parar, mas acredite, neste momento já deu para respirar fundo e recuperar toda aquela energia da trilha.

Trilha do Rio do Boi e suas águas cristalinas
Trilha do Rio do Boi e suas águas cristalinas

Algumas pessoas não vão até o final, mas para desistir você precisa estar com pelo menos dois guias no grupo ou ter um consenso de o grupo todo desistir e perder o passeio. Quando existe dois guias, um fica com você e o outro continua com o grupo. Por mais que seu limite chegue ao final, é bem complicado estragar o dia de todas as pessoas, né? O mesmo acontece no caso de alguém se machucar. Todos voltam.

E foi só quase chegando no final que eu descobri o segredo para não acontecer acidentes. Você tem que sempre tentar pisar nas pedras mais seguras, ou seja, aquelas que estão firmes. Pisando sempre no centro e nunca nos cantos também evita tombos. E tome muito cuidado com as pedras falsas.

 Trilha do Rio do Boi - A reta final
Eloah na reta final da Trilha do Rio do Boi

A superação da Trilha do Rio do Boi

Quando finalmente chegamos no final da trilha do Rio do Boi, você fica de boca aberta sem saber onde contemplar primeiro. Aquelas fendas todas são magnificas. Eu apenas sentei, abri meu lanche e fiquei observando. Só quando pensei que teria que percorrer tudo de volta que o desespero bateu, tanto que não consegui fazer muitas fotos e vídeos do final, acredita?

Bom eu já estava esgotada e mereço esse desconto. Todas as forças que eu tinha, seria para o retorno e olha lá. A boa notícia é que a volta é realizada por um caminho alternativo, dentro da mata, sem tanta dificuldade. Somente o começo são pelas pedras e depois você nem vê mais o rio. O chão é escorregadio, mas comparado com todo o resto, foi fácil.

A superação da Trilha do Rio do Boi
A superação da Trilha do Rio do Boi

Que experiência! Valeu cada passo dado, cada travessia de rio e os 14 km percorridos. A superação dos nossos limites, sedentarismo, corpo e mente foi motivo para muito orgulho, afinal de contas, não são todos os grupos que conseguem fazer a trilha do Rio do Boi por completo.

No final, embora cheia de dores musculares e hematomas, essa foi uma das melhores experiências que fizemos durante o ano de 2015.

A superação da Trilha do Rio do Boi
Trilha do Rio do Boi concluída

O que levar para a Trilha do Rio do Boi

  • Roupas confortáveis
  • Roupa para banho
  • Tênis ou bota própria para trilha molhada
  • Mochila pequena e leve nas costas
  • Toalha
  • Boné
  • Protetor solar e repelente (de preferência biodegradável)
  • Capa de chuva
  • Máquina fotográfica (pequena e a prova d’água)
  • Um kit lanche e garrafa de água
  • Roupas e tênis seco para trocar no retorno da trilha
  • Documento com foto

Esse é um passeio que ocupada o dia inteiro e o ideal é que você não reserve nada além dele para o dia.

Trilha do Rio do Boi - Aparados da Serra
Cenário na região do Aparados da Serra
Trilha do Rio do Boi - O interior do Cânion Itaimbezinho
Salve esse Pinterest para consultar depois

Nossa viagem foi um convite da Agência de Viagens Rota dos Canyons com apoio do Costão da Fortaleza Lodge e nossas opiniões são pessoais e transparentes sobre nossa experiência no local.

Deixei uma resposta

Escreva um comentário
Seu nome